0

O horário era das 10h às 13h. Cheguei às 11h15. Logo eu que sou pontual, mas desta vez não deu e eu relaxei porque tratava-se de uma festinha ao ar livre. Ao me aproximar, vi cerca de 50 pessoas ao redor de uma fartura de bolos, doces, refrigerantes, sucos e salgadinhos. Parecia festa de Cosme & Damião. Não era.
Era a turma da Argilando, uma instituição que está completando dez anos de muitas lutas e realizações. Ela vive contanto com seus voluntários, um bando de malucos que não ganha dinheiro algum, paga para se locomover até os colégios públicos onde os eles dão aulas de ética, sustentabilidade, questão da evasão escolar e mercado de trabalho. Mas os loucos fazem tudo isso com imenso prazer e alegria.
Foi emocionante rever colegas, voluntários como eu. Foi bonito ver aquele mar de gente que doa um pouco do seu tempo por acreditar que só fazendo alguma coisa…alguma coisa , de fato, vai mudar. É um trabalho árduo nos bastidores, é um trabalho desafiador dentro das salas de aula. Cada um tem suas histórias para contar.(…)
Até que chegou a hora da famosa foto com todo mundo. Foi uma festa. Depois vieram os depoimentos gravados por um dos colegas, quando cada um contou sua história, como descobriu a Argilando e porque decidiu fazer o trabalho.
Até que chegou a hora de reunir a cúpula da Argilando com Pedro Ronan liderando a turma. E o sacana do Sylvio Netto sugeriu que Pedro falasse alguma coisa. Outros também acharam a mesma coisa e Pedro quis fugir. Não conseguiu.
Ele começou falando das dificuldades, há dez anos, de construir a Argilando que é hoje. As reuniões eram na casa dele, não havia estrutura. Mas Pedro só conseguiu falar duas ou três frases….não foi adiante. As palavras não saíam e as lágrimas eram fartas. Ele insistiu mais quatro vezes, conseguiu falar e chorar, falar e chorar e emocionou o grupo.
E foi muito bonito ver que todos estavam mais ou menos na mesma emoção do Pedro. Mas ele foi o campeão da emoção. Tinha milhares de motivos. Ele sabe o quanto foi duro completar 10 anos de Argilando. Ele e seus colegas, nossos colegas.
Argilando, Dez Anos – uma data que ficará na memória de todos e de cada um que deu seu tempo, sua colaboração para que chegássemos até aqui.
Pedro Ronan ou qualquer outro – chorem à vontade. Como seria bom só chorar de alegria. Vocês conseguiram. Parabéns. E obrigado pela confiança em fazer parte deste grupo! Valeu, beijos Meninos & Meninas!

Texto escrito por Sylvio Netto, Jornalista, Radialista, Motoqueiro, Argilando, Voluntário Medalha de Ouro e nosso Grande Amigo – amamos você!

Créditos da foto: Natássya Carvalho

Compartilhe

Deixe um comentário

Desenvolvido por: Web Moment